Buscar

Começando a investir: quanto da minha renda devo destinar para meus investimentos?

Atualizado: 1 de out. de 2021

É preciso entender sua realidade para saber quanto você deve destinar aos investimentos.



Para saber qual valor devemos destinar aos investimentos, é preciso ter uma visão de como está sua vida financeira, qual é a sua renda mensal, quais são seus gastos, ou seja, é preciso ter um Planejamento Financeiro, para poder responder essa pergunta.


O planejamento financeiro é a organização das finanças pessoais e uma ferramenta poderosa para alcançar objetivos e realizar sonhos em curto, médio e longo prazo. Nele fica claro quanto da sua renda é necessário destinar para cada objetivo.


O que pode ser um valor confortável para alguém destinar mensalmente para seus investimentos, para outra pessoa pode ser algo fora de sua realidade.


É preciso lembrar que o valor para investimentos, assim como o planejamento financeiro depende do momento de vida de cada um, já que não existe uma fórmula mágica.


Quer saber mais sobre o planejamento financeiro? Nesse post falamos sobre o tema: Muito além dos números: Saiba como um planejador financeiro pode te apoiar na tomada de decisões



Confira abaixo seis dicas para dar o primeiro passo:



Organizando suas finanças


O primeiro passo é sempre organizar!


Sim, primeiro é preciso entender qual o valor da sua renda mensal, quais são seus gastos, o que é possível ajustar nas suas contas e assim saber se você termina o mês no azul.


Com um planejamento financeiro bem feito, é possível organizar as contas e saber exatamente o quanto entra e o quanto sai de dinheiro.


Podemos usar algumas ferramentas para fazer esse controle mensal. Hoje temos aplicativos, uma planilha e até mesmo o bom papel e caneta. Esses dados precisam ser anotados mensalmente, para monitorar sua vida financeira.


Baixe a nossa super planilha de orçamento: clique aqui!



Quem tem dívidas, precisa focar em pagá-las


Atualmente 70% das famílias brasileiras estão endividadas, e é o maior nível em 11 anos, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).



Antes de pensar em alcançar qualquer objetivo, é preciso entender como estão seus gastos, renda e quais hábitos precisam ser revistos para que não prejudiquem o seu orçamento mensal.


Quando alguém está endividado, dificilmente conseguirá acumular patrimônio, pois, sempre irá sofrer com os juros altos cobrados nas operações de crédito no Brasil.


Antes de investir é importante quitar dívidas. Dessa forma é possível evitar que os juros da dívida virem uma bola de neve.


Faça um levantamento dos valores totais das dívidas e entre em contato com a empresa para negociar. Em alguns casos é possível conseguir desconto e parcelamento.


Tenha uma reserva de emergência

Reserva de emergência é aquele valor que

guardado para imprevistos que vai te deixar dormir tranquilo. Sim, ter uma reserva para momentos de emergência te traz a tranquilidade. Apenas a certeza de não precisar pedir um empréstimo, seja para o banco ou para um parente, já torna a reserva de emergência fundamental para a aumentar a segurança financeira.


Indicamos que a reserva de emergência seja de 6 a 12 salários ou despesas mensais.


Exemplo:


Se você tem uma despesa mensal de R$2.000,00, sua reserva de ene precisa ser R$12.000,00 (R$2.000,00 x 6 = R$12.000,00).


Nesse texto falamos da sua importância: A importância da reserva de emergência e onde investir?



Saiba quais são seus objetivos


Saber quais são seus objetivos e o tempo que você deseja alcançá-los é importante, pois são eles que vão te deixar motivado a não desistir no meio do percurso.


Agora que suas finanças estão devidamente organizadas é o momento de saber o que você quer fazer com o dinheiro.


Separe seus objetivos em: curto, médio e longo prazo.


  • Curto prazo: são os objetivos de 12 até 18 meses. Podem ser para pagar uma dívida, montar sua reserva, fazer um curso.


  • Médio prazo: são os objetivos de 18 a 60 meses. Podem ser para uma festa de casamento, uma viagem internacional.


  • Longo prazo: são os objetivos acima de 60 meses. São metas que precisam de um planejamento maior, que exigem mais dinheiro para executar, como, por exemplo, a compra de um imóvel.


Investir de acordo com seu objetivo traz a clareza de quanto você precisa acumular até alcançá-lo.


É uma estratégia que vai te auxiliar a entender qual o melhor caminho a ser percorrido, qual investimento vai te trazer um melhor retorno.



Quanto investir


Agora que organizou suas finanças, pagou suas dívidas, caso as tenha, tem uma reserva de emergência, sabe quais são seus objetivos, podemos falar sobre quanto você pode investir.


Existe uma regra chamada 50-30-20, que consiste em destinar 50% da renda para os gastos essenciais, 30% para despesas variáveis e 20% para poupar e investir.


Essa regra tem 3 objetivos:


  • Garantir que você vai reservar parte da sua renda - te traz disciplina

  • Permitir que você veja com clareza para onde vai seu dinheiro - te traz controle

  • Priorizar suas despesas


Em resumo, essa regra te ajuda a ter controle financeiro e um orçamento bem organizado.


Porém, é preciso ressaltar que essa não é uma regra que servirá para todas as pessoas, é preciso olhar de forma individual para cada realidade e adequar esses passos para cada uma.



Paciência e disciplina


Considero que essa dica é uma das mais importantes.


Ter autodisciplina e autocontrole pode ser a parte mais difícil, mas elas são a chave para ter um planejamento financeiro e investimentos de sucesso.


Procure sempre pensar nos seus objetivos, aprenda a priorizar seus sonhos, não pense somente no hoje. Não se planta uma semente hoje para colher seus frutos no dia seguinte e assim é com seu investimento.


A consequência de aprender a ter paciência e disciplina é poder chegar no fim do seu objetivo colhendo os frutos plantados de quando você o colocou no papel.