top of page
Buscar

Seguro de vida: saiba como avaliar qual o melhor seguro para você

Atualizado: 6 de dez. de 2021

Entenda sua importância e como funciona




Certamente, em algum momento você já deve ter ouvido ou recebido uma oferta de seguro de vida.


O seguro serve para mitigar e reduzir os impactos de fatos que podem acontecer e que nós não controlamos.


Por mais que tenhamos a esperança de que tudo vai correr bem, algo pode sair diferente do que esperamos.


No Brasil, apenas 15% dos brasileiros têm seguro de vida, o que é muito pouco quando comparado a países desenvolvidos como EUA e Japão, onde mais de 90% da população possui algum tipo de seguro, porém é importante saber mais sobre essa forma de proteção para você e sua família.


Neste artigo falaremos sobre os benefícios e o que se deve observar na hora de contratar um seguro de vida.


Boa leitura!


O que é um seguro de vida?


O seguro de vida é um contrato feito com uma seguradora, para que em caso de algum acidente, morte ou invalidez, o titular e seus beneficiários estejam protegidos, e recebam uma indenização.





Antes de explicar como funciona o seguro de vida, é importante dizer:

  • No seguro de vida, quem contrata é o titular (que está exposto ao risco); é referente a vida e saúde do titular que existe a cobertura. Pode ser para uma única pessoa, no caso de cobertura individual, ou de uma família, que irá depender do tipo de seguro.

  • Os beneficiários, são as pessoas escolhidas pelo titular, que irão receber a indenização em caso de morte.


O seguro de vida também pode incluir as seguintes coberturas:


  • Invalidez acidental permanente, total ou parcial;

  • Assistência funerária;

  • Despesas médico-hospitalares;

  • Diárias por internação hospitalar ou incapacidade temporária;

  • Doenças graves;

  • Entre outros...


É válido ressaltar, que as coberturas oferecidas podem variar de acordo com a seguradora, que é a empresa responsável por desenvolver e oferecer os seguros.



Como funciona o seguro de vida?


O seguro de vida funciona como um “fundo de emergência”, em que o titular paga um valor mensal, semestral ou anual, dependendo do que for acordado com a seguradora.


A seguradora irá pagar uma indenização aos beneficiários ou aos dependentes legais do titular, caso ocorra um dos imprevistos cobertos pelo seguro, como, por exemplo:


  • Morte - falecimento do titular do seguro;

  • Invalidez permanente - caso o titular sofra de doença ou acidente que o impeça definitivamente de trabalhar;

  • Doença grave - pagamento para arcar com as despesas em caso de doenças cobertas;

  • Internação - diária paga por seguradora em caso de internação hospitalar;

  • Incapacidade temporária - diária paga para o titular caso este não possa trabalhar por um período determinado (geralmente até 12 meses);


Ao contratar um seguro, o titular decide quem será o beneficiário, quais situações estão cobertas, o prazo de validade da cobertura, que pode ou não ser vitalício.


O contrato definirá como será a forma de indenização, se será pago em uma única vez ou através de uma renda periódica, e também se haverá a possibilidade de resgatar o montante a qualquer momento.


Essas informações estão na apólice, o documento que oficializa o contrato de seguro de vida, além de garantir o direito do titular e dos beneficiários quando for necessário acionar o seguro.


Para que serve o seguro de vida?


O seguro de vida é uma forma de garantir a estabilidade financeira dos beneficiários, por um período, em caso de morte ou invalidez do titular do seguro.


Em casos como o que citamos, o seguro de vida pode oferecer uma cobertura para despesas médicas, como cirurgias, internação, que podem onerar o orçamento, caso o titular não tenha um plano de saúde.


O seguro também oferece uma renda diária em casos onde o titular ou o beneficiário precise se afastar do trabalho pelo período de até um ano, é o que chamamos DIT (Diária por Incapacidade Temporária).


Além dessas coberturas, é possível contratar assistência funerária, que em caso de falecimento o seguro arca com os gastos de velório, enterro ou cremação e também com despesas legais, como o inventário.


Existem ainda outras coberturas que cobrem despesas variadas, trazendo segurança para toda a família, como gastos com educação, seguro viagem e dívidas contraídas.


Quais os tipos de seguro de vida?

O seguro de vida pode ser dividido em alguns critérios como: periodicidade dos pagamentos, prazo de validade e tipos de coberturas.


Seguro ordinário


É o seguro mais conhecido, onde o titular contrato um plano, realiza pagamentos periódicos desde o início da vigência do seguro até o dia do seu falecimento. Depois, o dinheiro volta para os beneficiários.


Seguro temporário


Esse seguro tem um prazo determinado para acabar. Caso não ocorra uma situação coberta até o vencimento, a validade do seguro expira.


Seguro de vida dotal


Funciona como uma espécie de previdência privada, contudo sem os rendimentos. Ao fim do prazo de pagamento, o titular pode resgatar parte do valor pago. O seguro “dotal” faz parte de uma categoria de seguro resgatável, onde o benefício pode ser resgatado durante ou após o período de validade.


Quais as vantagens do seguro de vida?

Até aqui pudemos entender como funciona o seguro de vida, agora acompanhe quais as vantagens de ter um.


Proteção financeira para você e sua família


O principal benefício do seguro de vida é a proteção financeira para sua família e os dependentes de sua renda.


É comum que as famílias dividam os gastos mensais e em caso de morte ou invalidez de um de dos provedores o impacto na qualidade de vida da família pode ser grande.

Nesses cenários que podem acontecer com qualquer família, o seguro de vida dá estabilidade financeira até que os dependentes consigam se restabelecer.


Proteção para o segurado


Além da proteção financeira para a família, o segurado também está protegido em caso de incapacidade temporária ou permanente de trabalho.


Quando um desses casos acontecem, o retorno ao trabalho costuma ser mais demorado e os recursos do INSS podem ser baixos para manter o padrão de vida.


O seguro de vida traz tranquilidade para toda família.



Planejamento familiar


Vivemos em tempos de instabilidade econômica. Com a pandemia pudemos vivenciar muitos medos e incertezas jamais experimentadas antes. Em situações de instabilidade é importante assegurar a educação e saúde dos filhos. O seguro de vida ajuda você a garantir a educação dos seus filhos e demais dependentes.


Quanto custa um seguro de vida?

O valor do seguro pode variar de acordo com análise de risco e perfil de cada cliente, além das variáveis abaixo:

  • idade do contratante

  • coberturas contratadas

  • prazo de validade do seguro

  • se o contratante exerce uma profissão com alto grau de periculosidade

  • cobertura individual ou familiar

  • histórico de enfermidades na família como câncer e diabetes


Em resumo, quanto maior for a gravidade do risco e mais idade tiver o contratante, mais caro será o valor do seguro.


Alguns seguros têm seu valor reajustado anualmente conforme a variação do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) que é o índice de inflação oficial do Brasil.


É possível contratar um seguro através do aplicativo de algumas instituições financeiras, on-line no site de seguradoras e ao fazer um planejamento financeiro com o seu planejador CFP®.


Ao contratar o seguro, o cliente pode definir o valor da cobertura por morte, assistência funerária, hospitalização e invalidez do titular. Caso seja seu desejo, pode adicionar coberturas para familiares como: cônjuge, filhos e pais do titular do seguro.


Existem plataformas seguras que oferecem soluções com coberturas básicas a um valor acessível.


Como exemplo de valores e cobertura básica, fizemos a seguinte simulação:

  1. cobertura por morte do titular no valor de R $150.000,00

  2. assistência funerária do titular já está incluída, no valor de R $5.000,00.

Nessa simulação, acrescentamos as seguintes coberturas para o titular: hospitalização e invalidez. Além da assistência funerária para dependentes, que nesse caso foi o filho.


O valor do prêmio, que é o valor mensal a ser pago, ficou em apenas R$32,12.


Lembrando que esta é uma simulação de um seguro básico para um determinado perfil. Os valores podem variar conforme as características de cada pessoa.


O que é necessário para fazer um seguro de vida?


Qualquer pessoa pode contratar um seguro de vida, porém existem algumas regras de contrato que precisam ser seguidas pelo titular, sob o risco de perder o direito ao benefício, caso não sejam cumpridas.


É obrigação do contratante informar todos os fatores de risco a que está submetido, além de listar o histórico de doenças da família, o risco que está exposto no trabalho e se mora em uma área que pode ser considerada violenta.


Em caso de omissão de alguma informação ou se o titular se colocar em situações de risco, ele pode perder o direito ao benefício.


Vale a pena contratar um seguro?


Como vimos o grande objetivo do seguro é trazer segurança ao titular e seus familiares nas diversas situações que podem acontecer no dia a dia.


O seguro é um suporte financeiro necessário para todos, mas principalmente para os que estão em fase de construção de patrimônio. Além do seguro, outras alternativas podem ser úteis para cuidar do processo de sucessão patrimonial, que é cuidar da transferência dos bens financeiros e não financeiros para os herdeiros ainda em vida.


Aproveito sua pergunta para afirmar que o Planejamento Sucessório é o melhor caminho para reduzir custos e dar agilidade ao processo de sucessão, assim como proporcionar mais tranquilidade para os herdeiros e entes queridos. O planejamento sucessório, nada mais é do que a adoção de estratégias para a transferência do patrimônio de uma pessoa após a sua morte da maneira mais eficaz possível.


Sendo assim, o ato de planejar em vida a sucessão permite que a transferência do patrimônio entre as gerações ocorra da melhor forma possível, buscando atender os interesses pessoais e familiares, respeitando os limites legais, o que pode evitar conflitos familiares e dilapidação do patrimônio.


Os instrumentos utilizados neste processo vão de seguro de vida, doação em vida, holding familiar, previdência complementar, dentre outros. O planejador financeiro CFP® é o profissional que pode auxiliar no seu planejamento sucessório e identificar a solução mais adequada para você e a sua família.


Portanto, a resposta é sim!


Aqui na Fort Capital somos especialistas no planejamento da sua segurança e podemos encontrar as melhores soluções em seguros para você e sua família.


Entre em contato conosco!



31 visualizações0 comentário
bottom of page