top of page
Buscar

Carteira de investimentos: invista como os profissionais

Está começando a investir e ainda não sabe como montar a sua carteira diversificada?

Conheça o que é uma carteira de investimentos e como ter uma visão estratégica pode trazer mais performance e segurança para seus investimentos.





Quem está começando a investir, com frequência esbarra com muitas dúvidas: Será que estou escolhendo os melhores ativos? Meus investimentos estão diversificados o suficiente? Estou aproveitando o melhor do mercado? Meus investimentos estão protegidos contra crises?


A carteira de investimentos serve para que você possa ter um mix de ativos que irão promover a diversificação dos seus investimentos.


A diversificação nada mais é do que investir em diferentes ativos (ações no Brasil, Investimentos no Exterior, Renda Fixa, Fundos Imobiliários) com o objetivo de reduzir o risco e ao mesmo tempo aumentar o retorno. Isso ocorre, pois, quando uma dessas classes de ativos vai mal, as outras têm melhor resultado, compensando as perdas sofridas.


Para entender o conceito de carteira de investimentos é preciso pensar em um prato de comida. Sabe quando a nutricionista monta aquele prato equilibrado, colorido, com proteína, carboidrato, salada, legumes, com a quantidade de nutrientes especialmente para você?


Assim funciona com uma carteira de investimentos, ela é a combinação dos melhores ativos para manter seus investimentos mais rentáveis e seguros. Você terá diversos ativos compondo sua carteira de acordo com seus objetivos e perfil de investidor.


Vamos entender porque ter uma carteira de investimento faz sentido para você.



O que é uma carteira de investimentos?


Sabe quando dizem: não coloque todos os ovos em uma cesta?


A lógica vale para seus investimentos também.


Quando você investe em um único tipo de ativo, você corre um risco maior de perder dinheiro, já que sua performance depende de um único investimento. Não ter outro tipo de ativo te deixa exposto a riscos que poderiam ser evitados com a diversificação. Uma carteira de investimento é um conjunto de ativos que tem como propósito alcançar um determinado objetivo de rentabilidade.


Ter uma visão de carteira é a melhor maneira de diversificar seus investimentos se protegendo da volatilidade (que é a oscilação de preços) que existe no mundo das ações. Você não precisa ter muito dinheiro para ter uma boa diversificação, se já investe em mais de um ativo, você já tem uma carteira de investimento.


A composição da carteira tem a ver com a estratégia do investidor, que pode ter os mais diversos fatores. Como cada um de nós é um indivíduo único, com sonhos e objetivos diferentes das demais pessoas, é natural que uma carteira de investimentos também seja diferente de pessoa para pessoa.


Exemplo: Júlia quer fazer um intercâmbio no Canadá em 2 anos. Já Ana quer comprar sua casa na Zona Sul do Rio de Janeiro em 4 anos.


Concordam que a carteira de investimentos de Júlia e Ana precisam ter estratégias diferentes, pois possuem objetivos completamente diferentes e em moedas distintas?


Por isso que não existe a carteira de investimentos ideal! Existe a carteira que é a melhor para seu momento de vida, seu perfil de investidor e objetivos a alcançar.



O que é carteira recomendada?


Uma carteira recomendada, é uma carteira de investimentos teórica, composta por sugestões de especialistas da área.


As carteiras recomendadas são elaboradas por corretoras, assets, analistas independentes e consultorias financeiras, que estudam o mercado e podem sugerir ativos que acreditam ter o melhor desempenho naquele momento para um determinado perfil de investidor.


Também é disponibilizado junto a carteira recomendada um relatório, em que os analistas responsáveis explicam suas indicações.


É preciso lembrar, que as carteiras recomendadas são informações onde profissionais da área fazem análises e de acordo com suas percepções fazem suas sugestões


As carteiras recomendadas consideram previsões do mercado, fatores factuais, o contexto do mercado, da economia e da política.


Logo, uma carteira que pode fazer sentido ter hoje, em outro momento pode ser desaconselhável ter.



O que é uma carteira administrada?


A carteira administrada é um serviço onde uma empresa administra a carteira de investimento do seu cliente, e fica responsável pela alocação do dinheiro nos ativos disponíveis no mercado.


Essa alocação é feita observando o perfil de investidor do cliente, sua disposição ao risco, a liquidez, prazo de resgate e os objetivos de curto, médio e longo prazo.


Essa análise e estratégia é feita previamente, onde o investidor dá o aval para o profissional responsável pela carteira realizar as movimentações necessárias.


Sabemos que cabe somente ao cliente definir seus objetivos pessoais e definir o que deve ser efetuado com o dinheiro, porém isso difere de saber quais os melhores ativos para alcançar esses objetivos.


Logo ter um profissional ao seu lado pode fazer toda diferença para ter os resultados desejados.



Descubra como montar uma carteira de investimentos


Já vimos que para ter uma carteira de investimentos basta ter mais de um ativo, porém também vimos que essa diversificação precisa ter um sentido, ser feita com critério.


Se seu objetivo é ter uma carteira segura e alinhada com seu perfil e objetivos, precisa seguir alguns preceitos para ter o portfólio de ativos adequado ao que deseja.



Entenda seu perfil de risco


O perfil de risco vai indicar qual o risco ideal para cada pessoa e momento de vida. Lembrando que todo o investimento tem risco, sendo que alguns são mais arriscados e outros com menor risco.


É importante definir risco. Nos investimentos o risco está relacionado a possibilidade de perda de patrimônio.


Logo, quando dizemos que um investimento tem maior risco, significa que este tem maior possibilidade de causar perdas. Enquanto, em um investimento mais conservador esta probabilidade é menor.


O perfil de risco de uma pessoa não é imutável, o que significa que ao passar do tempo e tendo mais conhecimento sobre o mercado de ações, o investidor pode estar mais disponível a se expor a riscos, mas com a cautela necessária.


O mercado financeiro divide os perfis de risco em:


  • Conservador - não tolera riscos, por isso aplica a maior parte ou todo seu dinheiro em renda fixa, pois busca proteção.

  • Moderado - tem uma disponibilidade maior ao risco do que o conservador, mas ainda sim, busca por segurança.

  • Agressivo - tem disposição ao risco. Ele entende que o potencial de rentabilidade das aplicações será maior a longo prazo.


Os tipos de ativos


Podemos classificar os ativos financeiros em quatro grupos: Renda Fixa, Renda variável, Câmbio e Outros (que é a classe que compõe diferentes ativos como as criptomoedas por exemplo)


O risco é a principal diferença entre esses tipos de ativos.


Como por exemplo:


Renda fixa

São os ativos que têm uma rentabilidade atrelada a uma taxa fixa, que podem ser:

  • prefixada - o investidor sabe exatamente a taxa no momento do investimento;

  • pós fixada - a taxa paga pelo investimento acompanha algum indicador financeiro, que pode ser a SELIC, o IPCA entre outras;


Devido a sua previsibilidade, os investimentos de renda fixa tendem a ser mais conservadores, o que não quer dizer que eles não possuam riscos. Alguns investimentos de renda fixa podem ser bastante arriscados e apresentar volatilidade, assim como as ações.


Renda variável

São os ativos que oscilam conforme as movimentações do mercado.


O exemplo mais conhecido em renda variável são as ações negociadas na B3 (Nossa bolsa de valores), onde seus preços oscilam de acordo com as compras e vendas realizadas diariamente. O valor de uma ação pode subir quando mais pessoas buscam por ela, ou pode cair quando mais pessoas querem vendê-las.


O princípio dos investimentos em renda variável é que não é possível saber o valor das ações no futuro, o que temos são estimativas e projeções do valor das empresas baseadas em sua geração de caixa trazida ao valor presente.


O Valuation é um dos métodos utilizados pelo mercado financeiro para estimar o valor das empresas, porém, o que determinará o preço dos ativos são as negociações de compra e venda que ocorrem diariamente durante os pregões da bolsa de valores.


Logo se faz necessário conhecer o perfil investidor para saber a tolerância ao risco que o investidor está disposto a correr.



Diversifique seus investimentos


Ao diversificar seus investimentos você dilui o risco da sua carteira.


Por exemplo:

Podemos imaginar o seguinte cenário: O Brasil está vivendo uma crise hídrica, todo o dinheiro de Ana está alocado em uma empresa de Energia Elétrica, logo os investimentos de Ana estão correndo um risco grande de queda.


Se Ana tem uma carteira diversificada, os outros ativos irão compensar as possíveis perdas devido a este cenário. Já que uma crise hídrica no Brasil pode não afetar empresas de outros setores ou até mesmo de outras economias.


É possível diversificar em diferentes ativos de renda fixa e renda variável.


É importante ter uma carteira diversa e com ativos descorrelacionados, de segmentos e tamanhos diferentes. O conceito de correlação é fundamental para compreender a diversificação.


A correlação mostra como os ativos se comportam um em relação ao outro e este número é calculado através da estatística.


O que procuramos em uma carteira de investimentos é ter ativos que se movem em direções quase que opostas, que é o que chamamos de correlação negativa.


Assim, quando um ativo estiver perdendo dinheiro, ele será compensado por outro com melhor performance.



Tenha seus objetivos claros


Ter um objetivo é ter um plano.


Quando você pensa nos seus objetivos, consegue responder as perguntas abaixo:

  • Quanto dinheiro você precisa juntar?

  • Em quanto tempo pretende alcançar essa meta?

  • Quanto já tem e quanto consegue guardar mensalmente?

Os ativos ideais para alcançar sua meta vão depender das respostas às perguntas acima.


É importante lembrar que o ideal para renda variável é investir a longo prazo.


No longo prazo, acima de 5 anos, o mercado de renda variável tem uma boa média de rentabilidade.


Outro fator relevante é a necessidade de liquidez.


A liquidez é o tempo de resgate do investimento e encerrar a aplicação.


Alguns ativos, mesmo os de renda fixa, tem um tempo maior para resgate, já outros não levam tanto tempo, mas pode haver algum prejuízo ou menor rentabilidade ao investidor.


Um exemplo de onde é preciso ter liquidez é a reserva de emergência, já que nunca sabemos quando pode acontecer uma emergência.



Porque escolher uma carteira administrada?


Nos últimos anos as pessoas tiveram muito acesso a informações sobre investimentos, ações e mercado financeiro.


As buscas por esses assuntos subiram exponencialmente nos mecanismos de busca.


Hoje investir ficou muito mais fácil e acessível, as fintechs revolucionaram e fizeram esse mercado chegar a diversos públicos.


Mas com tanta informação na mão e algumas delas bem duvidosas, pode gerar a falsa ilusão de conhecimento e levar o investidor a fazer escolhas ruins.


Para quem busca ter melhores resultados sem complicação nem perda de tempo, a melhor opção é contratar um planejador financeiro, onde ele, junto com um gestor, pode montar sua carteira de investimentos, com todos os princípios que vimos nesse artigo: perfil de investidor, objetivos, liquidez e administrá-la da melhor forma para você.



Confira os principais motivos para contar com uma carteira administrada:


Adequada ao seu perfil de risco

Na carteira administrada o gestor irá levar em consideração fundamentalmente o perfil de risco e os objetivos do cliente. Toda alocação de recursos e a diversificação dos ativos, será feita pelo gestor, mas toda ação será baseada no perfil do cliente.


Praticidade

O principal benefício de ter uma carteira administrada é não precisar acompanhar o mercado financeiro e todas as suas variações. Tendo um gestor ele quem irá acompanhar, fazer as alocações, o rebalanceamento, controlar os percentuais e rentabilidade consolidada.


Gestão profissional

A gestão de uma carteira só pode ser feita por profissionais certificados.


São gestores de investimentos que possuem toda experiência e qualificação para gerir e distribuir os ativos de acordo com as metas e perfil de cada cliente.


Rebalanceamento automático

Uma carteira administra mantém o balanceamento dos ativos sem que o cliente precise se preocupar com isso.


O balanceamento significa que o cliente pode fazer um novo aporte, que o gestor irá atualizar a distribuição dos recursos para que os percentuais de cada tipo de ativo sejam mantidos.


Ter uma carteira de investimento bem diversificada é bom para todos os tipos de perfil de investidor, pois irá trazer a rentabilidade desejada, além de diminuir os riscos que são inerentes a qualquer tipo de investimento, seja ele de renda fixa ou de renda variável.



Como funcionam as carteiras de investimentos na FORT CAPITAL


Para nós, o processo da criação de uma carteira de investimentos começa com o conhecimento profundo dos nossos clientes e de seus objetivos de vida. Este processo se inicia no planejamento financeiro, onde o cliente participa de reuniões com o seu CFP®.


Após conhecer os objetivos de vida, restrições e características de cada cliente, utilizamos nossa metodologia de análise de perfil investidor, conhecido também como Suitability. Através do Suitability, definimos qual o perfil de risco de cada cliente (Conservador, moderado e arrojado). Este processo é realizado periodicamente, dado que este perfil pode mudar com o tempo.


Com essas informações definimos uma política de investimentos personalizada e sem conflito de interesses. A política de investimentos é o mapa que irá guiar as decisões de investimentos do nosso time de alocação, e garantir aos nossos clientes que seus investimentos são voltados para a realização de seus objetivos de vida.


O nosso ferramental de alocação, de forma simplificada, funciona da seguinte maneira: nós desenhamos alguns cenários econômicos possíveis e atribuímos probabilidades a eles.


Na sequência, passamos a acompanhar os principais acontecimentos que podem influenciar estas probabilidades e revê-las quando é o caso. Para cada um dos cenários, calculamos os retornos esperados de cada uma das classes de ativo.


Com estas estimativas fica muito fácil construir uma carteira que vá bem em cada um dos cenários. Porém, apesar de estimar as probabilidades, nós não sabemos qual cenário irá se concretizar. O real desafio é criar uma carteira que seja eficiente apesar dessa incerteza.


Nós da Fort Capital estamos aptos a receber todos os tipos de investidores e a administrar sua carteira de investimentos.


Agenda sua reunião e descubra!


278 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page